Emprego de Pernambuco em outubro foi salvo pela agropecuária

Os 8.718 postos de trabalho a mais no entanto representaram uma variação de apenas 0,7% em comparação a setembro

Os 8.718 postos de trabalho a mais no entanto representaram uma variação de apenas 0,7% em comparação a setembro

Em seguida, aparecem Pato Branco, com saldo positivo de 2.401 no ano e de 243 em outubro, e Cascavel com 1.997 no ano e 448 em outubro - o segundo melhor resultado para o mês entre as cidades.

O saldo de outubro também teve impacto positivo sobre o acumulado dos últimos 12 meses, que ainda ficou em -294.305, mas já indica uma forte recuperação na comparação com o acumulado até setembro, que foi de -466.654.

O saldo de outubro representa um crescimento de 0,20% em relação ao estoque de empregos celetistas do mês anterior. No acumulado de janeiro a setembro, a alta é de 0,79% sobre o estoque de dezembro de 2016.

Os setores de maior demanda foram a indústria da transformação (+ 3.665), agropecuária (+ 3.219), sob a influência da agroindústria canavieira, serviços (+ 891) e comércio (+764).

Quando analisados os setores, os números são menos animadores.

Um fator que determinou esta evolução é a aproximação das festas de final de ano, momento em que o setor varejista aumenta o número de contratações, visando aumentar o faturamento no comércio. Completam ainda os três setores que tiveram os maiores saldos o de serviços, com 188 postos de saldo.

Já os setores de Serviço Industrial de Utilidade Pública e da Construção Civil fecharam o mês com o saldo negativo de geração de novos empregos. A única região que registrou saldo negativo foi o Centro Oeste (-408 postos).

O levantamento aponta saldo positivo nos outros 17 municípios: Artur Nogueira, com 33, Campinas, com 679, Cosmópolis, com 27, Engenheiro Coelho, com 41, Holambra, com 30, Hortolândia, com 182, Indaiatuba, com 88, Itatiba, com 73, Jaguariúna, com 31, Monte Mor, com 11, Nova Odessa, com 53, Paulínia, com 143, Pedreira, com 13, Santo Antônio de Posse, com 33, Sumaré, com 26, Valinhos, com 435, e Vinhedo, com 92.

Também se destacaram Sergipe, com saldo de 5.491 postos (+1,93%); Paraná, com a criação de 4.749 novas vagas (+0,18%); e Minas Gerais, que teve saldo positivo de 4.509 vínculos empregatícios (+0,11%). Ou seja, ele mede as demissões e contratações que envolvem trabalhadores com carteira assinada, segundo o governo federal. Foram eles o Rio de Janeiro (-0,11%), Goiás (-0,14%), Acre (-0,26%) e Amapá (-0,07%) e Bahia, com redução de somente 36 vagas.